Páginas

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Devagar, divagando


Caminho pelos campos verdes dos meus sonhos,

colhendo um aqui outro acolá,

vejo alguns murcharem, e outros crescendo que dá gosto!


Lembro, com certa dose de saudosismo, dos que já desisti de cultivar;

efêmeros, frágeis, mas que me levaram a procurar espécies mais frutíferas...

Sonhos cultivados coletivamente, sonhos egoístas, românticos, profissionais , tem tanta variedade...

O estranho é que tem certa espécie que insiste em crescer. Não adianta podar nem nada...

Acho que nunca encontrei as raízes desses...

3 comentários:

  1. legal, pedro. esse tem tudo a ver com o que eu tô sentindo.

    continua escrevendo!

    ResponderExcluir
  2. nós somos as próprias raízes de certos sonhos...

    ResponderExcluir